segunda-feira, 21 de novembro de 2016

TERRA 1 - Terceira Guerra Mundial e Colapso

1. Terceira Guerra Mundial

Como preâmbulo, é indispensável referir que  a União Europeia colapsara  imediatamente após a invasão do Iraque, em 2003 e que o Médio Oriente se encontrava parcialmente atomizado desde 2004. aquando da invasão da Síria pelas forças da Coligação Ocidental.
Durante a tomada de Damasco, a quantidade de civis massacrados (comparável às acções dos Khmers Vermelhos de Pol Pot no Cambodja, durante o séc. XX) conduziu à Retaliação da Dor Negra, na qual a totalidade da população de Nova York foi dizimada em 18 horas, por uma epidemia de “Zaire-Pox Fusion Virus 8”, produzido nos laboratórios P4++ da Glaxo-Smith-Kline e vulgarmente designado por “Dor Negra”. Este ataque biológico justificou socialmente o bombardeamente termonuclear de Bagdad, Khartum e das ruínas de Damasco, tendo a Organização das Nações Unidas abandonado a expressão “acção preventiva” e adoptado a designação de “conflito aquático”, em virtude do interesse estratégico dos lençóis freáticos sob os monte Golan.
Israel aproveitou a escalado do conflito e, em simultâneo com os bomabrdeamentos das capitais iraquiana, afegã e síria, lançou 2 ogivas nucleares experimentais de 70 Megatoneladas sobre Teerão e o Cairo, transformando toda a região num deserto vitrificado e radioactivo. O bombardeamento de Bagdad foi efectuado em regime de saturação nuclear, resultando na formação de um deserto de vidro rodeando um lago morto sito na depressão onde anteriormente se localizava o perímetro urbano de Bagdad. Este local mortal passou a designar-se por Lago Eufrates.
Após o bombardeamento nuclear de Bagdad, ocorreu em Genebra uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da Nações Unidas (U.N.S.C., acrónimo anglo-saxónico), que deliberou a proibição absoluta de utilizar armamentos atómicos ou biológicos nos Conflitos Petrolíferos e Aquáticos. Em simultâneo com a reunião de emergência, decorreram negociações secretas entre uma elite israelita ídiche, uma certa elite industrial-conservadora bávara e os chefes tribais congoleses da região de Kinshasa, visando a criação de uma área de influência abrangendo todo o médio oriente e os continentes europeu e africano. A perfídia e o desrespeito pela Vida com que estas negociações foram conduzidas, levaram a que a referida reunião do U.N.S.C. fosse posteriormente designada como a Infâme Reunião, em virtude das consequências planetárias que advieram destas negociações secretas.
Simultâneamente, o aumento inexorável do autoritarismo norte-americano alinhava-se na perfeição com o aumento do terrorismo pseudo-islâmico.    
A 4 de Maio de 2005, o Vaticano, o Reino de Espanha, os rebeldes xiitas sobreviventes da Arábia Saudita, da Síria e do Iraque, aliados aos racistas norte-americanos dos estados do Sul (Christian Belt), denunciaram parcialmente a verdadeira autoria dos atentados pseudo-islâmicos e rebentou a Guerra Civil na Península Arábica. Nos Estados Unidos, a revolta social foi de tal forma avassaladora que a Federação desintegrou-se. Os racistas da Christian Belt, melhor organizados em milícias populares entusiastas de armas, tomaram o poder no país, invadiram o Canadá e o México com o beneplácito das respectivas populações e reorganizaram o sub-continente em estados segregados hispânicos, islâmicos, afróides e caucasóides.
Em termos diplomáticos, os racistas efectuaram negociações secretas com a Federação Russa e a República da China, reiterando a intenção de estabelecer uma Ordem Mundial Triaxial baseada na exploração exaustiva de todos os recursos petrolíferos do planeta (“Sworn Petrol Power Agreements, SWP acts - April 2005”). Contudo, cedendo às pressões da antiga elite sunita - entretanto refugiada nos Estados Unidos desde o bombardeamento nuclear de Bagdad -  e dos cleros católico e islâmico, a cúpula dos racistas, a 2 de Agosto de 2005, declarou unilateralmente a criação do Império Crislâmico Amero-Arábico (A.C.E., acrónimo anglo-saxónico) e a soberania sobre toda a Península Arábica o que exasperou tanto o Vaticano como o Reino de Espanha e minou a aliança tácita.                                 
Os conspiradores da Infame Reunião aproveitaram a denúncia de  4 de Maio anterior para lançar uma violenta revolução conservadora em toda a União Europeia, incluindo a totalidade do território ucraniano.
Em simultâneo, o Conselho Kinshasiano coordenou uma uma expansão radial do território da República Democrática do Congo, evoluindo em moldes semelhantes à Blitzkrieg nazi, enquanto a elite ídiche tomou o poder em Israel, iniciando novo ciclo de hostilidades em todo o Médio Oriente e Península Arábica. Estas movimentações foram concertadas e acompanhadas pela declaração unilateral da criação do Império Bávaro-Kinshaso-Telavívico (B.K.T.R., acrónimo alemão), a 5 de Agosto de 2005.
A Terceira Guerra Mundial foi declarada a  6 de Agosto de 2005, opondo o B.K.T.R. à Aliança Crislâmica (Rússia e A.C.E.) manchado uma vez mais a triste memória desta data.

2. Colapso

O conflito prosseguiu numa escalada curiosamente lenta e sem recurso a armamento nuclear, em virtude dos SWP acts terem redefinido a Rússia e o Império Crislâmico Amero-Arábico como frágeis aliados. A China mantinha uma prudente - talvez quase suspeita – neutralidade, enquanto o entretanto criado Exército Unitário das Nações Terrestres (E.N.U.A., acrónimo anglo-saxónico), a par com o que restava do U.N.S.C. envidavam hercúleos esforços para minimizar a violência dos teatros de guerra, julgar sumariamente os crimes de guerra e manter os canais globais de comunicação abertos.
Por causa desta minimização de danos, a Terceira Guerra Mundial prosseguia sem eclosão de conflitos na Ásia, muito devido às movimentações das forças armadas chinêsas, que se encontravam a actuar sob delibreações do E.N.U.A., mas com teatros de operações por toda a Europa, na Austrália e na América do Sul, sendo que no Médio Oriente prosseguia a destruição dos poucos territórios habitáveis existentes, apenas não se utilizava mais armamento nuclear.
A cúpula político-industrial chinesa começou a acarinhar a ideia de reconquistar Taiwan, aproveitando a fragilidade e dependência das suas forças armadas exibida pelo E.N.U.A. Mantendo a fachada da neutralidade, manteve negociações ultrassecretas com um pequeno estado europeu, satélite do B.K.T.R., a República Oligárquica da Brustelávia (B.O.R. acrónimo retro-romance) e, a 21 de Março de 2008, às 0:39 central european time, C.E.T, lançou um Blitz Nuclear Táctico por toda a Ásia, em acordo secreto com a Malásia, Singapura e  a Indonésia. Ao blitz, seguiu-se uma imediata movimentação de vagas sucessivas de tropas de ocupação destinadas a todos os territórios a conquistar.                                                                                                 
Às 09:00 C.E.T., emitiu, em sede do E.N.U.A./u.n.s.c. e por comunicação holográfica, aDeclaração de Incompatibilidade Ideologico-Genética (D.I.G.I., acrónimo anglo-saxónico)na qualidade de Novo Estado Asiático (N.A.S., acrónimo anglo-saxónico). A D.I.G.I. do N.A.S. foi a última acção do conjunto de instituições relacionadas ou resultantes da Organização das Nações Unidas.
Às 10:00 CET, o território suíço foi reduzido a uma depressão vitrificada pelas 3 primeiras bombas de singularidas utilizadas por humanos.
De acordo com os arquivos Aleph-Terrabinários mantidos em Terra 2 (Marte) desde 1996, no dia 21 de Março de 2008, às 10:01, 10:02 e 10:04 (C.E.T., calendário católico, tempo de Terra 1) foram registadas três clarões de radiação gama vindos de Terra 1, referentes respectivamente, aos bombardeamentos do N.A.S., do A.C.E. e, por último, do B.K.T.R., um autobombardeamento mais a leste e que se considera ter sido uma tentativa de destruir a B.O.R. após a descoberta da traição.
Após consulta de dados por hacking a um antigo e esquecido satélite de comunicações militares pertencente ao B.K.T.R., verificou-se que a calote polar ártica tinha sido destruída pelo B.K.T.R., para interromper a exploração petrolífera submarina efectuada pela Rússia, tendo esta e o A.C.E. retaliado com a destruição da Antártida, numa tentativa de reduzir as armadas submarinas e de veículos Vril que os nazi-congo-judeus mantinham na Nova Suábia.
Na segunda vaga de escalada, o A.C.E. bombardeou Port Said com uma ogiva termonuclear de 120 Megatoneladas, para separar a Africa da Península Arabica e a Rússia bombardeou o próprio território nos Urais, para separar a Europa da Ásia.
Na terceira vaga de escalada, o Alabama, a Baviera, a área metropolitana de Kinshasa e o Estado Interno de Moscovo foram vaporizados com ogivas de singularidade de 2º geração, tendo o BKTR ainda efectuado um bombardeamento biológico da Península Ibérica e do Magreb, entretanto reagrupados como União Mediterrânica, utilizando Dor Negra, com o oblectivo de neutralizar a resistência Judeo-Cristo-Xiita. A Terceira Guera Mundial acabou às 11:32 desse dia.
Nos três séculos seguintes, pouco se soube de Terra 1, apenas que, contra todas as probabilidades, a Vida, incluindo a espécie humana, não se extinguiu. 

Sem comentários: