sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Zurugoa

O Conceito Zurugoano partiu da elaboração mental de um projecto de associação, a Associação Não Académica de Zurugoa.
Foi apresentado a um grupo de pessoas que apreciaram a bizarria do conceito e, em conjunto, transmutaram-no em Sociedade Iniciática.
Elaboraram-se leis que os iniciados deviam respeitar, criaram-se designações para os iniciados (zorbinnus, plural zorbinni) e os zorbinni designaram um deles como o Zorbote (sumo-zorbinnus). Tambem se definiram (vagamente...) os Ritos Iniciáticos.
Durante este período do Conceito Zurugoano, foi redigido um documento contendo as Leis e a Lista de Iniciados.
Postulou-se, como axioma, que os Iniciados, à data de redacção do documento, tinham sofrido uma Iniciação Colectiva, simultânea e espontânea, que se denominou Zorbinação Espontânea Ab-Initio.
Posteriormente, Zurugoa passou a designar um Estado Virtual, o Estado Teocrático Federal de Zurugoa (E.T.F.Z.), compreendendo dois estados federados:
O Estado Interno:
Uma cidade-estado, sede dos Poderes Legislativo, Executivo, Judicial e Informativo, exercidos pela comunidade de Iniciados.
O Estado Externo:
Território onde funcionariam as estruturas de suporte da Federação (terrenos agrícolas, indústrias, serviços, etc.) e onde residiria a população não-iniciada.
Sendo um estado teocrático, o governo seria exercido por uma classe sacerdotal, pressupondo uma religião. A Religião de Estado de Zurugoa foi pensada sem divindades.
Durante esta fase do conceito, foram elaborados um documento versando a orgânica do estado e duas compilações de aforismos.
Os quatro documentos fundamentais de Zurugoa constituem o Tetragramaton Zurugoae, têm existência física e encontram-se, ainda hoje, na posse dos zorbinni.
Existe, embora inactivo desde Janeiro de 2006, o blog Zurugoa, definido como Embaixada de Zurugoa.

Sem comentários: