quinta-feira, 11 de setembro de 2008

SS Totenkopf (Fevereiro de 2005)

O ar estava denso. E espiritualmente Negro. Era a quarta vez que Heinrich assistia à Cerimónia de Imposição das Runas SS, mas nunca se sentia preparado para o Êxtase do Sangue.
Levantou um pouco o capuz da sua capa de cabedal, e observou demoradamente a Congregação de Recrutas em absoluto silêncio e sentido, absortos nas palavras de fogo do Sacerdote Ariano, e no som de orgão sub-grave, que obrigava ao Abandono do Ego. Aquele, alto e de semblante grave, vestindo uma capa vermelho-escarlate, prosseguia o Cântico dos Senhores Negros, em voz gutural:
"Existe só uma Realidade, a Magia
Existe só uma Entidade, o Negro Espírito
Existe só uma Raça Humana, o Homem Ariano
Existe só um Fogo, o Roxo e Eterno"
Neste momento, acendeu-se uma estranha chama roxa no Altar de ónix, e a Suástica por detrás do Altar, também em ónix, começou a emitir uma luminosidade roxa e vermelha...
Era assustador saber que a Cruz Gamada era feita de ónix e nestes momentos brilhava com aqueles tons... A Magia Nazi era, de facto, poderosa!
Chegou então o Momento de Imposição das Runas. O Sacerdote Ariano destapou a cabeça, e sobre ela surgiu uma Coroa de Chamas Vermelhas, enquanto ele fitava penetrantemente a Congregação, com os seus olhos totalmente negros e cintilantes, os olhos de um Mago Pós-Humano, extensamente transformado pela Magia.
Um espasmo de puro terror percorreu a Congregação, incluindo Heinrich, que sabia o que se seguia.
O Sacerdote Ariano projectou a sua voz gutural, mas, desta feita, a voz trovejava vinda de vários pontos da Catedral, e aos seus lados esquerdo e direito concentraram-se duas núvens negras e opacas que lenta e obscenamente tomaram forma humanóide. O Mago repetia:
"A mim e aos Senhores Manifestados as vossas Vontades
Avançai e recebei a Caveira e as Runas"
E então Heinrich, num misto de horror e fascínio, observou mais uma vez como, um por um, os cadetes avançavam sem hesitar até ao altar, eram apunhalados no coração por uma das Sombras, recebiam a Caveira e as Runas em morte, da mão do Mago, e eram de novo trazidos à vida pela outra Sombra.
Estava terminada mais uma Cerimónia do Burg de Schwarzwald, e formada outra companhia de Stormtroopers SS.
A formidável Magia aliada à Tecnologia Bélica eram invencíveis. Heinrich, ele próprio, era um morto-vivo, cônscio do Sangue e da Raça, ao serviço dos Senhores Negros, pronto a percorrer os campos de batalha em nome de uma sociedade radicalmente nova, em prol de uma noção de justiça absolutamente impiedosa e cruel.
No entanto...
........................................................
Tributo a Arthur Machen, inspirado na frase proferida por "Ambrose" ("A Feitiçaria e a Santidade, eis as únicas Realidades."), in "The White People".

Sem comentários: